500 ANOS DA REFORMA

O movimento Stone-Campbell e a Reforma Protestante

Bruno Moraes, 34 anos, Diretor Executivo da Brazil Christian Mission

31 de outubro de 2017

Algumas pessoas não sabem, mas o movimento de restauração foi conhecido nos seus primórdios como a Reforma Presente, o qual era um movimento que buscava a unidade do Corpo de Cristo. Buscava, também, a continuação dos princípios da reforma protestante para a vida e prática da igreja e também de cada cristão, tudo isso, mas sem as amarras criadas pelos homens para seres testes de comunhão entre as igrejas. Ao ler o livro do principal teólogo do movimento, Alexander Campbell, O Sistema Cristão (The Christian System) o qual em sua contra capa tem a seguinte afirmação: “O Sistema Cristão, em referência a união dos Cristãos, e da reforma do cristianismo primitivo, pela continuação da Reforma.”, fica claro de que as intenções desses patriarcas históricos era de manter a pureza de uma igreja conhecida pelo amor e unidade, mas também por uma teologia Bíblica, simples e saudável. A Reforma Protestante de Martinho Lutero traz alguns questionamentos modernos, os quais podem ser feitos por qualquer pessoa alfabetizada, que tenha lido uma bíblia e que esteja inserido em qualquer contexto religioso. Estudiosos afirmam que junto com a Reforma Protestante assentam-se quatro perguntas ou doutrinas essenciais, que segundo criam reformadores protestantes como Martinho Lutero, Ulrich Zwinglio, João Calvino e João Knox, suas respostas bíblicas, restauraria a Igreja da forma bíblica:

  1. Como uma pessoa é salva? (R. Pela Graça, mediante a em Cristo Jesus.)
  2. Onde reside a autoridade religiosa? (R. Na Bíblia Sagrada e somente nela)
  3. O que é a Igreja? (R. A Igreja é o povo salvo por  Deus, o qual cumpre seu propósito na terra, é ainda o ajuntamento daqueles que ouviram a Palavra de Deus, obtiveram assim fé para a salvação e arrependendo de seus pecados, morreram para o mundo e viveram para Deus mediante o “Lavar Regenerador do Espírito Santo.” Tt3.5
  4. Qual é a essência do viver cristão? (R. Glorificar a Deus Pai, e ter prazer pleno em lhe servir e pregar a sua Santa Palavra.)

Tais questões estabeleceram o que seria conhecido como os princípios fundamentais da Reforma Protestante, as 5 Solas da Reforma, nos parece muito familiar dentro dessas respostas acima.

  • Somente a Escritura;
  • Somente Cristo;
  • Somente a Graça;
  • Somente a Fé;
  • Somente Glória a Deus!

Como as igrejas de Cristo e igrejas Cristãs, oriundas da Reforma Presente do século 18 e 19 veem essa questão? Da mesma forma que Lutero em seus primórdios. Que a Igreja não é uma organização de autenticação de salvos, mas uma agencia de propagação da graça e ajuntamento de arrependidos. A igreja é o Corpo de Cristo na terra, caminhando e ajuntando os Salvos de Deus, e não uma outorgadora dos sacramentos ou da graça, pois já é pela graça que temos parte das ordenanças de Cristo, e assim a Graça é eficazmente conferida ao coração do Crente arrependido, trazendo pra ele certeza e convicção de sua salvação. Temos somente a Santa Palavra de Deus como única e infalível Regra de fé e prática. Só aceitamos somente o Senhorio e divindade de Jesus Cristo o Filho de Deus, e de nenhum outro, pregamos que aqueles que têm fé na Palavra e por causa da Palavra, podem morrer com Cristo, sendo sepultados no batismo, para que, sendo mortos com Cristo, nasçam para Deus em nova vida, agora com a certeza incontestável Graça disponibilizada por Cristo na Cruz. (Gl 3.27; Col 2.12; At 2.38; Tt 3.5; Rm 6). E Glorificamos a Deus o Pai, todo poderoso, pois não há outro que nos amou primeiro, ao ponto de entregar seu Único Filho para nos remir os pecados, a Ele a Glória!

Assim, seguiremos nos passos da Reforma Protestante, sendo uma igreja bíblia, simples, mas teologicamente Saudável, que valoriza os meios de Graça estabelecidos por Cristo (Batismo e Ceia), e uma autoridade Bíblica acima da autoridade humana. “Pois, falamos onde a Bíblia fala e calamos onde a Bíblia cala”. “Nenhum Credo, só Cristo. Nenhum livro, só a Bíblia. Nenhuma lei só o Amor”.

Unamo-nos os nossos irmãos pelos princípios neo-testamentários da reforma em toda a terra, glorificando a Deus, por graça e fé, vivendo a unidade em Cristo pela obediência em sua Sagrada Escritura.

Deus nos abençoe